Não é coincidência que quase todos os logotipos da cadeia alimentar usem a cor vermelha. Pense no McDonalds, Chick Fil A, Wendy’s, In and Out, Coca Cola e Dairy Queen. A razão é que a cor vermelha aumenta o apetite. As marcas estão simplesmente utilizando a psicologia das cores para atrair clientes.

O impacto da cor excede em muito onde e o que comemos. É universal, para todas as idades e dados demográficos. Exemplos comuns são design, vestuário, natureza, iluminação, tecnologia, marca de campanha e arte.

Na Terapia de Casal RJ a psicologia das cores estuda esse impacto exato. Examina o efeito da cor no comportamento, humor e atividade neural do cérebro.

As raízes da psicologia das cores

A história da psicologia das cores data de 2000 aC. Na época, as civilizações grega, egípcia e chinesa usavam cromoterapia¹. Essa terapia integrativa usou a exposição de cores para a prática medicinal. Ele também usou a exposição vermelha para melhorar o fluxo sanguíneo e a circulação. O amarelo foi usado para doenças neurológicas. Os médicos escolheram o azul para acalmar o efeito psicológico².

Agora, a cor é uma ferramenta psicológica e fisiológica em uma variedade de mídias e na Terapia de Casal Nova Iguaçu.

Terapia de Casal RJ

Na publicidade, a cor facilita o reconhecimento de objetos, orienta a atenção e percebe estímulos ³. A cor também afeta nossa resposta emocional e humor.

Muitos estudos concluíram que a cor afeta a atenção e os padrões de prevenção. De uma perspectiva social, a cor muda a interação e a percepção dos outros. As bochechas vermelhas, por exemplo, estão associadas a alguém superaquecido ou envergonhado. Quando alguém está pálido, concluímos imediatamente que eles estão doentes ou não estão se sentindo bem⁴.

A cor na teoria do contexto sugere que a cor é significativa e tem um grande impacto nos processos cognitivos⁵. Essa teoria também descreve como a cor fundamenta muitas metáforas. Por exemplo, as pessoas descrevem sentir-se tristes ou deprimidas dizendo “Estou me sentindo triste hoje”.

Significado da Cor

Toda cor tem um significado simbólico. Os cientistas ainda estão tentando entender grande parte da neurociência por trás da associação de cores. Mas, as tendências nos permitem conhecer seu efeito geral. Aqui está uma lista que especifica o impacto psicológico de cada cor:

Vermelho:

Eletromagneticamente, o vermelho tem o maior comprimento de onda de radiação. Isso pode contribuir para o porquê de ser tão psicologicamente impactante.

Pense em Target, Youtube, Netflix, Chick Fil A, Wendys, CVS … a lista continua. Muitas estratégias de marketing usam a cor vermelha porque chama a atenção⁶.

Estudos recentes usaram EEGs para medir a atividade cerebral em indivíduos que visualizam estímulos vermelhos. Eles descobriram que o vermelho aumentava a atividade neurológica, especialmente quando em um cenário emocional⁷.

A cor vermelha ativa a luta ou fuga do corpo e a resposta motora. Os biomarcadores incluem aumento da pressão arterial, pulso e respiração.

Em certos contextos, o vermelho pode ser agressivo e exigente.

A cor vermelha é ao mesmo tempo ameaçadora e emocionante. Verificou-se que usar camisas vermelhas aumenta as chances de ganhar no esporte in.

Simbolicamente, a cor vermelha tem associação positiva e negativa. Pode significar perigo através de sangue e fogo, mas também está associado a sexo e comida.

Laranja:

Laranja é uma cor alegre e enérgica. É usado para simbolizar calor, energia e religião.

Neurologicamente, a laranja aumenta o apetite e o desempenho⁹.

A cor laranja é ótima para ser cercada durante exercícios ou exames. Aumenta o foco mental e o desempenho.

Terapia de Casal RJ

Amarelo:

O amarelo tem o impacto mais psicológico de todas as cores.

O amarelo cria sentimentos de felicidade, alegria e amizade¹⁰.

Foi comprovado que a cor amarela aumenta a auto-estima, a confiança e a criatividade.

O amarelo estimula a liberação de serotonina, um neurotransmissor que aumenta os níveis de felicidade¹¹.

Amarelo claro, especialmente cores pastel, faz com que os espectadores se sintam nostálgicos e lembrem as memórias da infância.

O amarelo também está associado à ganância e fraqueza. É a cor mais difícil de processar visualmente, para aumentar a irritabilidade.

Verde:

Verde simboliza renascimento, natureza, crescimento, serenidade, boa sorte, riqueza e refresco.

A cor verde é calmante para os espectadores.

Se você deseja que os hóspedes se sintam em casa, o verde é uma ótima cor de design. Ajuda as pessoas a se adaptarem a novos ambientes. Muitos hotéis e escritórios acrescentam detalhes verdes a móveis e plantas para serem acolhedores¹².

Azul

O impacto do azul depende da sua sombra.

O azul claro é calmante e melhora o funcionamento cognitivo. Azul claro aumenta a concentração. Reduz a pressão sanguínea e a atividade neural.

Azuis mais escuros simbolizam tristeza, sonolência e medo. Eles também lembram as pessoas de corpos d’água.

Os cientistas acreditam que o neurotransmissor dopamina pode desempenhar um papel na maneira como nosso cérebro processa a cor azul¹3. O TDAH envolve deficiências de dopamina nas pessoas diagnosticadas. Pessoas com TDAH muitas vezes lutam para ver a cor azul, sugerindo que o cérebro pode ter processamento especializado para cada cor.

Preto

O preto simboliza sofisticação, formalidade e modernidade. O preto também simboliza a escuridão, o poder, o mal e o lutoour.

Estudos recentes descobriram que, porque o preto pode sugerir agressão. Por causa dessa percepção, os árbitros são mais difíceis em jogadas em camisas pretas¹⁵.

Branco

O branco é uma cor neutra e apresenta perseverança, paz e esterilidade.

Médicos e enfermeiros usam cores brancas para um efeito neutro e calmante, além de transmitir esterilidade.

A neurociência por trás da psicologia das cores

O que é cor?

A cor que os humanos vêem são realmente ondas eletromagnéticas. Os seres humanos só podem processar certas ondas no espectro eletromagnético. O comprimento da onda determina a visibilidade.

As cores variam porque têm comprimentos de onda diferentes. Por exemplo, cores quentes têm comprimentos de onda mais longos que cores frias.

Como a cor ativa seu cérebro

Os principais intervenientes no processamento de cores incluem o tálamo, o córtex orbitofrontal, a amígdala e o córtex da linha média posterior.

O tálamo interpreta as informações visuais que passam pela retina dos seus olhos. As células ganglionares da retina são responsáveis ​​pelo envio de sinais da luz para o tálamo¹⁷.

O tálamo é apelidado de “relógio biológico do corpo”. Ele regula a temperatura do corpo, os padrões de sono e os níveis de fome.

Quase todo mundo tem uma cor favorita, mas por quê? Um estudo recente teve como objetivo expandir o conhecimento sobre a neurociência por trás da preferência de cores. Usando neuroimagem, eles mediram como as regiões ativadas por cores do cérebro. Os pesquisadores descobriram que o córtex pré-frontal medial e o córtex retrosplenial são mais ativados quando os indivíduos determinam a preferência por cores¹⁸.

As cores são “harmoniosas” quando ficam bem juntas. O estudo também descobriu que a harmonia das cores ativa o córtex orbitofrontal e a amígdala.

Algumas cores são emocionalmente estimulantes. O córtex da linha média posterior (CPM) é uma parte crucial da rede de modo padrão. Estudos descobriram que o CPP é mais ativado quando a cor nos afeta emocionalmente¹⁹.

Processamento de cores:

Muitas pessoas com deficiência visual ainda são capazes de perceber as cores. Isso ocorre porque a pele detecta a energia eletromagnética da cor.

Os olhos têm a maioria dos fotorreceptores, ou células que processam luz e cor. Novos estudos sugerem que versões desses fotorreceptores podem estar presentes em toda a nossa pele. Exemplos disso são células chamadas criptocromos e opsinas².

O processamento de cores ainda precisa de uma pesquisa completa. Bevil Conway é um neurocientista da Wellesley College e da Harvard Medical School. Atualmente, ele está pesquisando os sistemas de cores do cérebro com primatas². Recentemente, ele encontrou “globs” especializados de neurônios que são ativados quando expostos a uma determinada cor.

Isso sugere que nosso cérebro possui áreas de processamento codificadas para cada cor única. O maior conjunto de cores encontrado por Conway foi ativado pela cor vermelha.

Pesquisas também mostram que a percepção de cores pode depender de nossas memórias.

Um estudo alemão usou frutas para medir o efeito cognitivo na descoloração. Quando a fruta estava descolorida, os sujeitos contavam com conhecimento prévio. Como resultado, os sujeitos perceberam a cor da fruta normalmente²².

Isso sugere que a memória ajuda a percepção visual em condições diminuídas. A relação entre percepção de cores e recuperação de memória pode se correlacionar com o motivo pelo qual certas cores, como o amarelo, fazem com que os indivíduos se sintam nostálgicos.

Seu sono e cor

Conforme listado acima, muitas cores provocam resposta fisiológica. Os padrões de sono provam a relação psicológica do corpo com a cor.

Você já se perguntou como sabemos quando acordar? A exposição à luz é um dos principais contribuintes.

A luz azul e verde faz com que o tálamo libere cortisol. O cortisol é um hormônio que estimula nossa atividade fisiológica. À noite, a escuridão do céu faz com que o nosso tálamo libere melatonina, o que nos deixa sonolentos²³.

A psicologia das cores é um biohack incrivelmente simples para mudar o humor e as emoções. As equipes de marketing e marca o usam em logotipos, campanhas de mídia e anúncios. No entanto, você não precisa vender algo para manipular cores. Faça da cor uma parte do seu cinto de ferramentas psicológicas, você sentirá a diferença.